Header Ads

Brasileiros de Harvard criam clube para ensinar ciência a jovens

O norte-americano Paul Joseph Franco e a brasileira Hannah Ananda Bougleux Gomes, integrantes do CdeC Brasil (Foto: Divulgação)

 

Para ampliar o acesso de jovens à ciência, pesquisadores brasileiros da Universidade Harvard, uma das mais importantes dos Estados Unidos, decidiram criar o projeto Clubes de Ciência Brasil. A iniciativa tem como objetivo levar conhecimento científico por meio de oficinas e mentorias gratuitas para estudantes brasileiros do ensino médio e dos dois primeiros anos de graduação em qualquer área.

O CdeC Brasil, como é apelidado, começou com quatro pesquisadores, mas hoje a equipe é formada por nove brasileiros e um norte-americano, Paul Joseph Franco. Entre as áreas de conhecimento deles estão empreendedorismo, epidemiologia, edição genômica e imunologia. “Pretendemos motivar e convencer futuros cientistas de que é possível fazer ciência de ponta no Brasil”, diz a página oficial do projeto na internet.

O projeto brasileiro integra o Clube de Ciência de Harvard, fundado em 2014 por doutorandos mexicanos da própria universidade e também do Massachusetts Institute of Technology (MIT). Em um ano, o programa expandiu e criou clubes na Colômbia e na Bolívia. Já em 2017, o projeto chega pela primeira vez ao Brasil e também ao Paraguai e ao Peru.

Leia também
+ Conheça os cientistas brasileiros da equipe que encontrou as ondas gravitacionais de Einstein
+ Equipe do Brasil vai participar de competição da NASA pela primeira vez

Por aqui, os primeiros encontros serão realizados entre os dias 17 e 22 de julho, na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte. Segundo os pesquisadores, a cidade foi escolhida por ser um local que possui centros de estudos científicos e de incentivo à inovação e tecnologia.

Quatro turmas de 20 alunos cada uma vão estudar tópicos inspirados nas pesquisas e teses de doutorado dos instrutores. Os temas são "células-tronco e edição genômica", "visualizando o sistema imune em ação", "combatendo epidemias" e "inovação e empreendedorismo científico".

Ao todo, o processo seletivo registrou mais de 900 candidatos. Foram aprovadas 80 pessoas de seis estados, sendo 40% estudantes de instituições públicas e quase 60% mulheres.

Universidades de outras regiões do país já mostraram também interesse no projeto. A agenda oficial de novos clubes para 2018 deve ser divulgada no final deste ano. De acordo com o CdeC Brasil, as áreas de CTEM (Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática, em inglês), como robótica e programação, podem ser temas das oficinas do ano que vem. 

Hannah Ananda Bougleux Gomes, pesquisadora do instituto de células tronco da universidade de Harvard (Foto: Divulgação)

 

 

Nenhum comentário

-Antes de sair lembre-se de COMENTAR nós damos muito valor a opinião do leitor(você)
-Críticas e elogios serão aceitos para que possamos melhorar cada vez mais.
-Diga com suas propias palavras
-Não use palavras de baixo calão

BOM AGORA QUE JA LÊU JA PODE COMENTAR!
Diga oque voce achou dessa publicação?

Tecnologia do Blogger.