Header Ads

Sony Xperia XA1: cara de sofisticado

Xperia XA1

O Xperia XA1 é um aparelho com tela de 5 polegadas que vem para representar a Sony no disputado segmento de smartphones intermediários. O modelo é o sucessor do Xperia XA e, como tal, traz alguns avanços interessantes, como mais memória RAM e câmera traseira generosa nos megapixels.

Mas, você sabe, números altos nem sempre resultam em mais desempenho ou melhor experiência. Será que a câmera é realmente tudo isso, por exemplo? Será que o processador — um MediaTek Helio P20 — dá conta do recado? E a autonomia da bateria, como fica?

Com essas questões em mente, eu usei o Xperia XA1 como o meu smartphone principal por alguns dias. Como a Sony decidiu lançar apenas aparelhos topo de linha e intermediários — não há mais “quase” topos de linha —, eu fiquei muito interessado em saber se essa nova estratégia implica em mais cuidados com os modelos que custam menos, como é o caso do Xperia XA1. Me acompanhe nas próximas linhas para descobrir.

Em vídeo

Design

Quando eu fiz o review do Xperia XZ, me deparei com muita gente dizendo que o smartphone lembra um HD externo slim ou um carregador portátil. E lembra mesmo! Mas a Sony gostou desse estilo, tanto é que podemos dizer a mesma coisa do design do Xperia XA1.

Xperia XA1

O aparelho tem formato com poucas curvas e aspecto liso. A traseira, de um plástico tão denso que parece metal, e as laterais, essas de alumínio de verdade, dão um ar de sofisticação ao Xperia XA1, mas também reforçam o aspecto de “caixinha”. Tem gente que gosta, tem gente que acha estranho e tem gente que odeia. Eu estou na primeira turma: acho interessante a Sony apostar em um estilo bem particular em vez de usar como “inspiração” o design do iPhone ou dos smartphones da Samsung.

Xperia XA1

Mas há uma coisa que me incomoda. O Xperia XA1 tem tela de 5 polegadas, o que o deixa menor na largura e, portanto, torna a pegada mais confortável. Em contrapartida, o modelo possui espaços muito amplos nas extremidades, dando a impressão de que ele é esticadão. Não chega a ser um detalhe que atrapalha o uso, porém.

O Xperia XA1 tem boa pegada e não escapa fácil da mão

O Xperia XA1 tem boa pegada e não escapa fácil da mão

A traseira do Xperia XA1 não é removível. O acesso aos slots do microSD e dos SIM cards (nano-SIM) é feito por uma gaveta na lateral esquerda. No lado direito ficam os botões de volume, liga / desliga e, mais abaixo, o de câmera — um detalhe curioso é que sempre gostei desse tipo de botão, mas, enquanto escrevia este review, me dei conta de que não o utilizei nenhuma vez.

Xperia XA1

No lado inferior está a saída de som e uma porta USB-C, olha só. É um avanço relevante em relação ao Xperia XA. Mas, talvez, você tenha percebido que o Xperia XA1 não evoluiu em um aspecto importante para os dias atuais: onde está o bendito do leitor de impressões digitais? Pois é, não tem. Há tempos que esse recurso deixou de ser exclusividade de aparelhos topo de linha. A Sony pisou na bola aqui.

Tela

O Xperia XA1 tem tela IPS LCD de 5 polegadas e resolução de 1280×720 pixels. Essa resolução não é ruim, pelo menos não para esse tamanho de tela. Mas, se a gente considerar que até o Moto G5, que é bem mais barato, tem resolução full HD, fica a sensação de que a Sony poderia ter caprichado mais nesse quesito.

De qualquer forma, a tela exibe cores vívidas, apresenta baixa perda de tonalidade na visualização sob ângulos variados, e o brilho máximo, apesar de não ser o mais forte que eu já vi em um smartphone, garante que você vai enxergar o conteúdo da tela mesmo se você estiver andando na rua em um dia bem ensolarado.

Xperia XA1

Ah, o dispositivo tem sensor de luminosidade. O modo automático do brilho funciona bem, mas, se você estiver em um ambiente escuro, talvez preferirá fazer ajuste manual: a Sony parece gostar de deixar o brilho com um nível de intensidade relativamente alto até quando a luz do ambiente é bem baixa.

Software

O sistema operacional do Xperia XA1 é o Android 7.0 Nougat (já poderia ser o Android 7.1.1, como no Xperia XZ Premium, mas tudo bem). A interface praticamente não difere daquela que a Sony implementou nos smartphones lançados nos últimos anos: há pequenas alterações na central de notificações, animações discretas nas mudanças de tela e alguns ícones próprios. Não dá para dizer que é um Android puro, mas não fica longe disso.

Como sempre, além dos aplicativos obrigatórios do Google, há apps de terceiros pré-instalados aqui, como Spotify, Amazon Shopping e AVG Protection, mas não em excesso.

Xperia XA1 - software

Entre os recursos da própria Sony, há alguns muito bons, como o já clássico modo Stamina, que ajudar a poupar a bateria, e a possibilidade de organizar os apps por nome ou frequência de uso, por exemplo. Por outro lado, certos apps próprios são de gosto duvidoso: o Notícias, o Xperia Lounge e o Movie Creator provavelmente não serão interessantes para a grande maioria dos usuários.

Câmeras

Nos reviews que eu fiz de smartphones anteriores da linha Xperia, costumava sobrar uma pontada de decepção com as câmeras. Não que elas fossem ruins, mas a Sony é um nome forte no mercado de fotografia, então é natural esperar mais dos sensores empregados nos aparelhos da marca.

Xperia XA1

Fiquei aliviado ao perceber que houve melhora no Xperia XA1. Com 23 megapixels e abertura f/2,0, a câmera traseira do modelo não é perfeita, mas você conseguirá fazer fotos realmente interessantes se souber dominá-la.

Dominá-la no sentido de aplicar a configuração ideal para cada situação. Você usará o Auto Superior com frequência, afinal, esse modo ajusta automaticamente a câmera para as circunstâncias do momento (pouca luz, cena noturna, macro, etc). Mas nem sempre o ajuste certo é escolhido.

Para exemplificar, em um dia de sol intenso, vale a pena ativar o modo Manual e, nas configurações, habilitar o HDR. As cores sairão com mais vivacidade. Porém, em ambientes fechados ou em um dia nublado, o HDR talvez não compense.

Foto registrada com o Xperia XA1

Em modo automático

 Foto registrada com o Xperia XA1

Com HDR

 Foto registrada com o Xperia XA1

Modo manual, mas sem ajustes

Foto registrada com o Xperia XA1

Com HDR

Foto registrada com o Xperia XA1

Modo manual, sem ajustes

Foto registrada com o Xperia XA1

Com HDR

 Foto registrada com o Xperia XA1

Modo manual, sem ajustes

Foto registrada com o Xperia XA1

Com HDR

Foto registrada com o Xperia XA1

Modo automático

Foto registrada com o Xperia XA1

Modo manual, sem ajustes

As fotos noturnas, com ou sem HDR, saem com um nível de luminosidade até bom, mas o pós-processamento faz a definição cair bastante.

Foto registrada com o Xperia XA1

Modo automático

Foto registrada com o Xperia XA1

Modo automático

Independente das condições, só não dá para esperar milagres. Há alguma distorção e ruídos perceptíveis nas áreas mais próximas das bordas, mesmo em dias claros. Mas, considerando a categoria do Xperia XA1, os resultados são satisfatórios, ainda que vez ou outra você tenha que fazer dois ou três tentativas para conseguir a foto esperada.

A câmera frontal tem 8 megapixels e lente grande angular com abertura f/2,0. Mas ela é apenas ok. As selfies feitas com ela têm boa coloração, mas os problemas com perda de definição e ruído também são bastante perceptíveis aqui.

Foto registrada com o Xperia XA1

Modo automático

Hardware e bateria

A Sony equipou o Xperia XA1 com processador octa-core MediaTek Helio P20 (são quatro núcleos Cortex-A53 de 2,3 GHz e outros quatro de 1,6 GHz), GPU Mali-T880MP2 e 3 GB de RAM. É um bom conjunto. O dispositivo se comportou bem em praticamente todas as aplicações.

Houve demora para abrir alguns aplicativos, mas bem discreta. Não percebi travamentos, tampouco problemas com multitarefa. Para testar os gráficos, joguei Need for Speed No Limits e Unkilled. Ambos fluíram bem. Unkilled apresentou uma ligeira queda na taxa de frames com as configurações gráficas no máximo, mas apenas nas cenas mais movimentadas.

No armazenamento, o Xperia XA1 ganha pontos na comparação com o Xperia XA por trazer 32 GB de espaço em vez de 16 GB — para a categoria do dispositivo, creio que é o mínimo que podemos esperar atualmente. Se não for suficiente, dá para aumentar o espaço com um microSD de até 256 GB.

Pontuação no AnTuTu 6.2.7, Geekbench 4.1.0 e 3DMark

Pontuação no AnTuTu 6.2.7, Geekbench 4.1.0 e 3DMark

De modo geral, o hardware do Xperia XA1 convence. Só que sempre tem um “mas”, né? Esse “mas” vai para a bateria: ela tem apenas 2.300 mAh. Para testá-la, executei as seguintes tarefas: filme O Poderoso Chefão (2h57min) via Netflix e brilho máximo na tela, meia hora de Need for Speed No Limits, meia hora de streaming de áudio (via alto-falante), cerca de meia hora de navegação via Chrome e uma chamada de 10 minutos.

Após essas atividades, a carga da bateria caiu de 100% para 31%. Sim, isso indica que, se você quiser passar o dia inteiro com o aparelho longe da tomada, vai ter que maneirar no uso — percepção um tanto irônica para um smartphone que tem cara de power bank.

Na recarga, o Xperia XA1 precisou de quase duas horas e meia para aumentar a carga de 5% para 100% com o carregador que acompanha o modelo.

Xperia XA1

Aproveitei os testes de bateria para avaliar o áudio. Ele não é ruim. O volume poderia ser um pouco mais alto, mas dá para o gasto. Além disso, é difícil notar distorções. Mas eu tive a impressão de que a experiência com o áudio seria melhor se o alto-falante estivesse na frente do aparelho. A saída fica na lateral inferior, ao lado da porta USB-C, fazendo o som não ser jogado diretamente para você.

Achei estranho. Para variar, continua valendo a regra de usar fones de ouvido, de preferência, dos bons — nas configurações de áudio, há alguns ajustes disponíveis que dão uma boa incrementada na experiência.

Conclusão

Acabamento externo robusto, câmera interessante e bom desempenho são atributos que valorizam muito o Xperia XA1. Mas fiquei com a impressão de que, intencionalmente ou não, a Sony não terminou a lição de casa: a autonomia limitada da bateria, a falta de um leitor de impressões digitais e a tela com resolução HD em vez de full HD são faltas graves.

Graves porque, seguindo com a sua tradição, a Sony cobra caro pelo aparelho: o Xperia XA1 foi anunciado no Brasil com preço sugerido de R$ 1.699,99. Por esse valor, o modelo deveria oferecer muito mais.

Xperia XA1

Além da cor rosada, o Xperia XA1 tem versões em preto, branco e dourado

É verdade que já é possível encontrar o Xperia XA1 com descontos na faixa de R$ 300 ou R$ 400. Apesar disso, fica difícil não considerar, por exemplo, o Moto G5 Plus (com desconto) um negócio melhor. Dá para pensar o mesmo até do Galaxy A5 2017 (também com desconto).

Tecnicamente, eu não acho que o Xperia XA1 é uma compra ruim. Mas, dadas as circunstâncias expostas, só o compraria com um desconto bem generoso ou se, por alguma razão, eu não quisesse levar os aparelhos das outras marcas para casa.

Especificações técnicas

  • Bateria: 2.300 mAh;
  • Câmera: 23 megapixels (traseira) e 8 megapixels (frontal);
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11n, GPS, Bluetooth 4.2, USB 2.0 (porta USB-C), rádio FM, NFC;
  • Dimensões: 145 x 67 x 8 mm;
  • GPU: Mali-T880MP2;
  • Memória externa: suporte a cartão microSD de até 256 GB;
  • Memória interna: 32 GB (2x GB livres);
  • Memória RAM: 3 GB;
  • Peso: 143 gramas;
  • Plataforma: Android 7.0 Nougat;
  • Processador: octa-core MediaTek Helio P20 de 2,3 GHz;
  • Sensores: acelerômetro, proximidade, bússola, luminosidade;
  • Tela: IPS LCD de 5 polegadas com resolução de 1280×720 pixels e Gorilla Glass.

Sony Xperia XA1: cara de sofisticado

Nenhum comentário

-Antes de sair lembre-se de COMENTAR nós damos muito valor a opinião do leitor(você)
-Críticas e elogios serão aceitos para que possamos melhorar cada vez mais.
-Diga com suas propias palavras
-Não use palavras de baixo calão

BOM AGORA QUE JA LÊU JA PODE COMENTAR!
Diga oque voce achou dessa publicação?

Tecnologia do Blogger.