Header Ads

Google demite engenheiro responsável por manifesto contra diversidade

O engenheiro de software que elaborou o polêmico manifesto atacando as políticas de diversidade do Google não é mais funcionário da companhia. O próprio James Damore, que até então tinha sua identidade preservada, confirmou à Bloomberg o seu desligamento, dizendo que foi demitido por “perpetuar os estereótipos de gênero”.

Com cerca de dez páginas, o manifesto foi divulgado nas redes internas do Google, mas causou tanta indignação entre funcionários da companhia que logo acabou sendo vazado. Ao se tornar público, o documento causou ainda mais polêmica.

Mulher no Google - imagem por Women on the Web

Damore argumenta, por exemplo, que as mulheres são menos presentes que os homens nas áreas de tecnologia porque elas estão mais inclinadas aos sentimentos e, por conta disso, acabam preferindo trabalhos em áreas sociais ou artísticas. Ainda nas palavras do engenheiro, as mulheres têm menos tolerância ao estresse, o que explica a menor participação feminina em cargos avançados.

Com relação às políticas do Google, Damore afirma que os esforços da companhia para estabelecer a diversidade criaram uma “monocultura politicamente correta” que humilha quem pensa diferente das ideias promovidas. Essas são só algumas das argumentações.

As reações ao documento foram imediatas, razão pela qual o Google teve que se pronunciar rapidamente. Em carta aos funcionários assinada por Danielle Brown, que assumiu o cargo de vice-presidente de diversidade, integridade e governança há poucas semanas, a companhia diz, basicamente, que o manifesto não condiz com a sua cultura interna.

Carta de Sundar Pichai

Sundar Pichai (Foto: Bloomberg/David Paul Morris)

Sundar Pichai

A carta de Brown foi considerada evasiva por muita gente. Era esperado que o Google tomasse uma decisão mais enérgica, portanto. Ela veio com a demissão de Damore na tarde de segunda-feira (7).

Embora não mencione explicitamente a demissão, Sundar Pichai, CEO do Google, publicou uma carta nesta terça-feira (8) para dar um posicionamento mais firme e, de modo indireto, explicar o desligamento do engenheiro.

Ele diz que a companhia “apoia firmemente o direito dos googlers [como são chamados os funcionários do Google] de se expressar”, e que “muito do que foi dito no manifesto é passível de debate”. “No entanto, partes do documento violam o código de conduta do Google e ultrapassam o limite, promovendo estereótipos nocivos de gênero em nosso local de trabalho”, diz.

Pichai continua dizendo que “sugerir que colegas tenham características que os tornam menos adequados biologicamente ao trabalho é ofensivo e não aceitável”.

Google

Boicote

A demissão de James Damore está sendo vista por muita gente como uma decisão acertada, mas também resultou em diversas manifestações contrárias, inclusive de pessoas ligadas ao movimento alt-right (direita alternativa). As reações incluem uma campanha de boicote aos serviços do Google:

Até Julian Assange se manifestou, classificando a demissão como censura e oferecendo um trabalho a Damore na Wikileaks:

Pelo menos até o momento, Damore não se manifestou sobre a repercussão do assunto. Mas, à Bloomberg, o engenheiro disse que já está estudando todos os recursos legais possíveis para tratar da sua demissão.

Google demite engenheiro responsável por manifesto contra diversidade

Nenhum comentário

-Antes de sair lembre-se de COMENTAR nós damos muito valor a opinião do leitor(você)
-Críticas e elogios serão aceitos para que possamos melhorar cada vez mais.
-Diga com suas propias palavras
-Não use palavras de baixo calão

BOM AGORA QUE JA LÊU JA PODE COMENTAR!
Diga oque voce achou dessa publicação?

Tecnologia do Blogger.