Header Ads

Taylor Swift depõe em julgamento sobre assédio de radialista: “não vou deixar que coloquem a culpa em mim”

Taylor Swift esteve em tribunal de Denver nesta quinta-feira (10) para depôr no julgamento do processo sobre o radialista e DJ David Mueller, que ela alega que agarrou sua bunda ao tirar uma foto em um meet-and-greet.

O caso começou em 2013, quando o DJ encontrou Taylor durante sua turnê de “Red”, a cumprimentou, e, durante a foto, agarrou seu traseiro. Após as alegações da artista, o DJ foi demitido de seu trabalho.

Neste tweet abaixo do TMZ podemos ver a foto em que Taylor alega que sofreu assédio do radialista, e a mão dele claramente está posicionada sobre a bunda dela:

O DJ decidiu processar Taylor por “difamação” porque ele perdeu seu emprego na rádio após as alegações, e pede uma indenização de 3 milhões de dólares. Taylor então entrou com um contra processo, pedindo apenas um dólar, mostrando que não se trata de dinheiro para ela, mas sim provar que o ato dele foi completamente inaceitável.

Hoje foi o dia em que Taylor foi ao tribunal depôr sobre o caso e responder às questões do advogado de Mueller, Gabriel McFarland. O Buzzfeed e a revista People acompanharam a audiência e relataram as respostas da cantora.

Taylor descreveu em detalhes o que ela chamou de experiência “horrível” e “chocante”. “Ele agarrou minha bunda e me afastei dele, visivelmente desconfortável. Os primeiros milésimos de segundo, pensei que deveria ser um erro. Me movi para o lado muito rapidamente.” A cantora acrescentou que “apenas olhei para o chão. Eu não podia olhar para nenhum deles, e eu simplesmente disse ‘Obrigada por vir’ “.

O advogado de Mueller perguntou a Swift por que a frente da saia não estava levantada na foto tirada. “Porque meu traseiro está localizado na parte de trás do meu corpo”, ela rebateu.

Em certo momento, o advogado perguntou se Taylor assistia à séries policiais. “Eu nomeei meu gato por causa Detetive Olivia Benson da Law & Order: SVU”, respondeu a artista. Logo o tópico se voltou para uma fileira de suspeitos em que ela poderia reconhecer quem a assediou. “Esta [que tenho] é uma identificação precisa. Isso aconteceu comigo. Ele apalpou minha bunda. Isso aconteceu comigo. Eu sei que era ele. Eu não preciso de uma foto. Eu poderia tirá-lo de uma linha de mil. Eu não preciso que você me informe sobre os pequenos detalhes desta fotografia”, disse,  descartando a afirmação de Mueller de que não era ele, mas sim um ex colega, Eddie Haskell, que a assediou.

Taylor também afirmou que manteve a mesma história desde o suposto incidente há quatro anos: “Você pode me fazer um milhão de perguntas sobre isso e nunca vou dizer algo diferente. Eu nunca disse nada diferente”.

A artista ainda foi questionada sobre como ela reagiu quando soube sobre a demissão de Mueller. “Eu não tive reação nenhuma porque ele é um estranho pra mim, não sabia que ele perdeu o emprego. Foi uma consequência das ações dele, não das minhas. Eu não vou deixar você ou seu cliente me fazer sentir que é minha culpa. Eu não sei nada sobre o Sr. Mueller. Eu não o conheço. Eu acho que o que ele fez foi desprezível, horrível, chocante, mas não o conheço.”

Mais cedo em seu testemunho, o advogado de Mueller pressionou Swift sobre sua resposta ao suposto assédio sexual no momento, ao qual ela respondeu: “Seu cliente poderia ter tirado uma foto normal comigo”.

Então, ele se concentrou no guarda-costas de Taylor, Greg Dent, perguntando por que ele não agiu. “A mão de Mueller estava debaixo da minha saia. Sobre minha bunda nua.” McFarland pressionou Swift sobre por que o guarda-costas não era mais seu emprego, ao que ela indicou que “bastante tempo depois desse incidente” reestruturou toda a equipe de segurança.

O advogado ainda perguntou se Swift e Dent tinham um “sinal” especial para emergências, e ela disse que não. “O que o Sr. Mueller fez foi, como eu disse, muito intencional, e a localização era muito intencional. E eu não ia culpar [meu guarda-costas] Greg Dent. Nenhum de nós esperava que isso acontecesse. Nunca aconteceu antes. ”

A cantora afirmou que não tem nenhuma crítica ao seu guarda-costas. “Eu tenho críticas ao seu cliente colocando a mão debaixo da minha saia e me agarrando a bunda.”

Taylor Swift abordou o relato de Mueller, durante o qual o ex-DJ alegou que sua “mão entrou em contato com uma parte de seu corpo, o que parecia ser uma costela”. Ele também disse que Swift parecia “fria e distante para mim”.

“Eu já tive várias experiências de primeiro encontro estranhos. Ele não tocou minha costela, ele não tocou meu braço, ele agarrou minha bunda”, rebateu Taylor.

Ela também refutou a afirmação de Mueller de que a foto aconteceu rapidamente e ele teve que pular para aparecer. “Não foi assim. Nós estávamos perfeitamente parados no lugar para tirar a foto. Este não foi um clique rápido.”

Quando foi dada a oportunidade de contra-interrogatório, o advogado de Taylor, Doug Baldridge, declinou, dizendo ao juiz que tinha “absolutamente nenhuma pergunta”.

O post Taylor Swift depõe em julgamento sobre assédio de radialista: “não vou deixar que coloquem a culpa em mim” apareceu primeiro em PAPELPOP.

Nenhum comentário

-Antes de sair lembre-se de COMENTAR nós damos muito valor a opinião do leitor(você)
-Críticas e elogios serão aceitos para que possamos melhorar cada vez mais.
-Diga com suas propias palavras
-Não use palavras de baixo calão

BOM AGORA QUE JA LÊU JA PODE COMENTAR!
Diga oque voce achou dessa publicação?

Tecnologia do Blogger.